Trabalho

Mudança de local de trabalho – Saiba os seus direitos e deveres

O trabalho ocupa um espaço fundamental na vida da generalidade das pessoas. No entanto, o salário não é o único fim do trabalho.

 

A atividade profissional é também, para muitas pessoas, fonte de realização e satisfação pessoal.

Mudar de emprego é uma decisão importante e é fundamental entender seus direitos e responsabilidades ao fazer essa transição.

Uma mudança de trabalho implica, normalmente, um espaço de introspeção em que uma série perguntas sobre o que importa, o que nos faz sentir realizados e o que mais valorizamos ao trocar de emprego devem ser respondidas. Há muitos pontos a considerar antes de dar ‘o salto’.

Eis as cinco questões-chave que deve colocar a si próprio:

  1. Qual a importância do salário na minha função atual?
    O salário é importante. Não só pelo reconhecimento extrínseco de que o seu empregador valoriza a sua experiência, conhecimento e empenho, mas porque precisamos realmente de dinheiro para viver.
    Entre os inquiridos que pretendem desistir do seu atual emprego nos próximos 12 meses, 45% fá-lo-ão a fim de obterem um salário melhor, revela o mais recente estudo global do Grupo Adecco, intitulado “Workforce of the future”.
    Mas o salário não é o único fator que afeta as atitudes dos trabalhadores. Entre aqueles que se sentem empenhados nos seus empregos, a sua posição numa lista de prioridades cai até ao sexto lugar. Apenas 25% dos que planeiam permanecer nos seus empregos citam o salário como a razão.
    Em vez disso, a estabilidade, o equilíbrio trabalho-vida e a flexibilidade ajudam a reter os trabalhadores. “É por isso que é tão importante perguntar a si próprio se o salário é superior a estes outros fatores, ou se é realmente o mais importante para si.”
  2. Sinto-me realizado no trabalho?
    Realização, ligação e interesse contínuo no trabalho são, normalmente, prioridades de topo ao considerar mudanças e oportunidades de carreira. “Os profissionais de hoje — sejam de secretária ou não — querem preocupar-se com o que fazem e querem sentir que estão a contribuir para um propósito que valorizam”, considera a Adecco Portugal.
    Por isso, considere cuidadosamente se uma nova perspetiva de emprego lhe oferecerá a oportunidade de se sentir regularmente empenhado, de modo a que os seus talentos se desenvolvam, se desdobrem e contribuam para um esforço propositado.
  3. Quão importante é para mim a aprendizagem e a requalificação contínuas?
    O crescimento na carreira expande-se para além das promoções e dos aumentos salariais, impacta o empenho e a motivação dos profissionais. E, sobretudo para a geração Z, é um fator primordial.
    Deve aproveitar a ocasião para questionar se, um novo emprego, traz consigo a oportunidade de se envolver em projetos mais desafiantes, oportunidades de desenvolvimento profissional para crescer no seu conjunto de competências e manter-se a par das novas tecnologias, processos, e abordagens interpessoais? Encontre respostas e reflita sobre a importância de cada
  4. Onde quero trabalhar, e com que frequência?
    A pandemia mudou fundamentalmente a nossa forma de trabalhar.
    Embora muitas pessoas considerem que o trabalho remoto enfraquece a camaradagem do dia a dia e até a motivação dos profissionais, para milhões de outros, a oportunidade de trabalhar à distância, a tempo inteiro ou a tempo parcial, proporciona um ambiente mais saudável e mais seguro para terem sucesso nas suas funções.
    Está na altura de decidir: onde quer trabalhar? E com que frequência? Compreender o tipo de estrutura de trabalho que melhor se adequa à sua vida e saúde é uma questão-chave ao considerar tanto as oportunidades de trabalho atuais como as novas.
  5. Qual a minha perspetiva sobre o trabalho?
    A pandemia mostrou também a muitos de nós que podemos — e devemos — gerir o nosso trabalho com outros interesses e responsabilidades, desde que tenhamos a flexibilidade para organizar os nossos horários e prioridades.
    Quão importante é para si ter flexibilidade, seja em temos de horário, de geografia ou de compensação? Reflita sobre isto e questione de que forma é que um novo trabalho poderá potenciar um maior equilíbrio entre as esferas pessoal e profissional.

Depois de responder a estas questões e terminada toda a ponderação, é hora de olharmos para a lei e para o contrato e percebermos o que é preciso fazer. Quais são os seus direitos e também os seus deveres.

 

Mudanca de local de trabalho

 

Direitos ao Mudar de Emprego

  • Aviso prévio: Dependendo do contrato e das leis locais, pode vir a precisar de dar um aviso prévio ao seu empregador antes de sair.
  • Pagamento devidos: Certifique-se de que será pago por todos os dias trabalhados e quaisquer benefícios acumulados, como férias não utilizadas, prémios de produção e/ou outros extras.
  • Verifique o contrato: Releia o contrato de trabalho para entender qualquer cláusula relacionada ao término de emprego, restrições de não concorrência, e obrigações pós-saída.
  • Documentação: Certifique-se de receber uma carta de recomendação ou referências, se possível, para facilitar futuras oportunidades de emprego.
  • Subsídios e benefícios: Conheça os seus direitos em relação aos subsídios que lhe são devidos, seguro de saúde e outros benefícios.

 

Responsabilidades ao Mudar de Emprego

  • Aviso adequado: Dê um aviso prévio adequado ao seu empregador, conforme estipulado em seu contrato ou de acordo com a prática comum.
  • Transferência de conhecimento: Se você está em uma posição chave, é ético e muitas vezes esperado que você facilite a transição de suas responsabilidades e conhecimentos para a pessoa que assumirá seu cargo.
  • Cumprir obrigações contratuais: Certifique-se de cumprir todas as obrigações contratuais antes de sair, como cláusulas de confidencialidade, não concorrência ou acordos de propriedade intelectual.
  • Devolver propriedade da empresa: Devolva todos os pertences, documentos ou propriedades da empresa que você possa ter em sua posse.
  • Manter uma comunicação profissional: Mantenha uma comunicação profissional e cortês durante todo o processo de transição, evitando comentários negativos ou desrespeitosos sobre seu empregador anterior.

É importante consultar um advogado ou profissional de recursos humanos para obter orientações específicas com base na sua situação e nas leis aplicáveis em sua região.

Agende a sua consulta connosco e dê uma nova vida á sua carreira profissional.

Share